Palavra do bispo Dom Manoel João Francisco

Postado dia 18/04/2019 às 13:17:19

Semana Santa: Ressurreição de Cristo

 Estamos vivendo Semana Santa e no próximo domingo vamos celebrar a ressurreição de Cristo, o Senhor. 
                     Às mulheres que, de madrugada, foram ao sepulcro, levando perfume para aspergir sobre o corpo de Jesus, dois homens com vestes resplandecentes perguntaram: “Por que procurais entre os mortos aquele que está vivo?” (Lc 24,5-6). 
                     A pergunta daqueles mensageiros é feita também para nós, hoje. Acreditar na ressurreição de Cristo e celebrar a sua Páscoa implica em compromisso com a vida. 
                     Conforme São Paulo, na Carta aos Romanos, através do batismo, fomos inseridos no mistério pascal e consequentemente na dinâmica da vida. “Acaso ignorais que todos nós, batizados no Cristo Jesus, é na sua morte que fomos batizados? Pelo batismo fomos sepultados com ele na morte, para que, como Cristo foi ressuscitado dos mortos pela ação gloriosa do Pai, assim também nós vivamos uma vida nova” (Rom 6,4).
                     Celebrar a Páscoa significa defender a vida e proclamar que Cristo, o Senhor está vivo. Celebrar a Páscoa é proclamar, cada vez que aparecer a oportunidade: “ele vive”. Assim fizeram os seguidores de Cristo de todos os tempos e assim continuam fazendo os discípulos de hoje. 
                     O Papa Francisco é nosso exemplo maior. “Cristo vive” é o título da Exortação Apostólica pós-sinodal que ele assinou no último dia 25 de março, na Santa Casa de Loreto, dirigida “aos jovens e a todo o povo de Deus”. O documento inteiro tem como pano de fundo esta verdade. Mas do número 124 até o número 129, O Papa a professa com todas as letras:
                     “Ele vive! É preciso recordá-lo com frequência, porque corremos o risco de tomar Jesus Cristo apenas como um bom exemplo do passado, como uma recordação, como alguém que nos salvou há dois mil anos. De nada nos aproveitaria isto: deixar-nos-ia como antes, não nos libertaria. Aquele que nos enche com a sua graça, aquele que nos liberta, aquele que nos transforma, aquele que nos cura e consola é alguém que vive. É Cristo ressuscitado, cheio de vitalidade sobrenatural, revestido de luz infinita. Por isso dizia São Paulo: «Se Crist o não ressuscitou, é vã a vossa fé» (1 Cor 15, 17).
                     Mas, se ele vive, então poderá estar presente em cada momento da tua vida, para enchê-la de luz. Assim, nunca mais haverá solidão nem abandono. Ainda que todos nos abandonem, Jesus permanecerá, como prometeu: «Eu estarei sempre convosco até ao fim dos tempos» (Mt 28, 20). Tudo preenche com a sua presença invisível e, para onde quer que vás, lá estará ele à tua espera. É que ele não só veio, mas vem e continuará a vir todos os dias, para te convidar a caminhar para um horizonte sempre novo .
                     Contempla Jesus feliz, transbordando de alegria. Alegra-te com o teu Amigo que triunfou. Mataram o Santo, o Justo, o Inocente, mas ele venceu. O mal não tem a última palavra. Também na tua vida, o mal não terá a última palavra, porque o teu Amigo, que te ama, quer triunfar em ti. O teu Salvador vive.
                     Se ele vive, isso é uma garantia de que o bem pode triunfar na nossa vida e de que as nossas fadigas servirão para qualquer coisa. Então podemos deixar de nos lamentar e podemos olhar em frente, porque com ele é possível sempre olhar em frente. Esta é a certeza que temos: Jesus é o vivente eterno; agarrados a ele, viveremos e atravessaremos ilesos todas as formas de morte e violência que se escondem no caminho.
                     Qualquer outra solução será frágil e temporária: talvez se mostre útil por algum tempo, mas de novo nos encontraremos desprotegidos, abandonados, expostos às intempéries. Pelo contrário, com ele, o coração está enraizado numa segurança basilar, que perdura mais além de tudo. São Paulo diz querer estar unido a Cristo, para poder assim «conhecê-lo na força da sua ressurreição» (Flp 3, 10). Tal é a força que se manifestará sempre de novo na tua existê ncia, porque ele veio para dar-te a vida, e «vida em abundância» (cf. Jo 10, 10).
                     Se conseguires apreciar com o coração a beleza deste anúncio e te deixares encontrar pelo Senhor; se te deixares amar e salvar por ele; se entrares na sua intimidade e começares a conversar com Cristo vivo sobre as coisas concretas da tua vida, esta será a grande experiência, será a experiência fundamental que sustentará a tua vida cristã. Esta será também a experiência que poderás comunicar a outros jovens"


envie seu comentário »

Veja Também

Veja + Palavra do bispo