Palavra do bispo Dom Manoel João Francisco

Postado dia 20/03/2019 às 17:07:09

São José

Dia 19 de março a Igreja católica celebrou a solenidade de São José, esposo de Nossa Senhora. Esta festividade foi introduzida na Igreja nos últimos séculos. São José, assim como no Evangelho, permaneceu humilde e obscuro durante muito tempo, na história da Igreja. Embora, por medo das heresias, a Igreja não tenha instituído uma celebração em honra de São José, os cristãos dos primeiros séculos o tinham em alta honra e glória, como atestam os evangelhos apócrifos e os escritos dos Santos Padres. As horas mais amargas na vida de São José foram, sem dúvida, aquelas em que, ao ter conhecimento da gravidez de Nossa Senhora, ficou sem saber se a abandonava ou se a acolhia em sua casa. A este respeito, Santo Irineu assim se expressou: “José, quando notou a gravidez de Maria e pensava em repudiá-la em segredo, ouviu um anjo dizer-lhe em sonho: “Não temas tomar Maria por tua esposa, pois o que ela tem no ventre vem do Espírito Santo. Dará à luz um filho e tu lhe darás o nome de Jesus porque é ele que salvará seu povo de seus pecados”. E acrescentou, para o convencer: “Tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que o Senhor tinha dito pela boca do profeta: Eis que a Virgem conceberá e dará à luz um filho e será chamado com o nome de Emanuel”. Com as palavras do profeta ele o convencia e desculpava Maria, mostrando que ela era exatamente a Virgem que Isaías tinha preanunciado como Mãe do Emanuel. Assim José se convenceu e acolheu Maria e prestou com alegria o seu serviço em toda a educação do Cristo, aceitando ir até o Egito, depois de voltar de lá, transferir-se para Nazaré, tanto que pelos que ignoravam as Escrituras, as promessas de Deus e a economia de Cristo era tido como o pai da criança” (S. Irineu, Contra as Heresias, 4,23,1). Para a mesma questão, São João Crisóstomo dá esta explicação: “... Apenas veladamente o anjo alude ao assunto, e, sem nomear, do modo mais nobre e mais conveniente, elimina aquela dúvida que estava causando muitas dores a José. Na realidade o anjo demonstra que o motivo pelo qual ele temia e havia pensado em largar Maria, deveria ser o motivo para tomá-la e retê-la consigo. Assim ficou mais que satisfatoriamente desfeita toda a angústia. O anjo lhe disse, não apenas que Maria era insuspeita de qualquer união ilegítima, mas que tinha concebido por uma ação sobrenatural. Por isso, não somente devia desvencilhar-se de todo o medo, mas até devia se encher de alegria, porque o que nela fora concebido era obra do Espírito Santo”. (Homilias sobre São Mateus, 4,6). A partir do Papa Pio IX que, a pedido de Bispos do mundo inteiro e dos Padres Conciliares, presentes no Concílio Vaticano I, o constituiu Patrono da Igreja Católica, ordenando que a sua festa, marcada para o dia 19 de março, fosse celebrada como solenidade, os Sumo Pontífices têm dado grande impulso à devoção e ao culto a São José. Para expressar sua devoção ao Patrono da Igreja, o Papa Francisco há seis anos iniciou o seu pontificado na Solenidade de São José. Naquela oportunidade o Papa disse: “Dou graças ao Senhor por poder celebrar esta Santa Missa de começo de ministério petrino na Solenidade de São José, esposo da Virgem Maria e patrono da Igreja universal: é uma coincidência muito rica de significado”. “Também o Papa, para exercer o poder, deve entrar cada vez mais nesse serviço que tem o seu cume luminoso na cruz; deve colocar o seu olhar no serviço humilde, concreto, rico de fé, de São José e, como ele, abrir os braços para proteger a todo o povo de Deus e acolher com carinho e ternura toda a humanidade”. Um ano depois, no primeiro aniversário de seu Pontificado, dia 19 de março de 2014, de novo fez referência a São José, apresentando-o como modelo do educador, do pai e do sacerdote. “Encomendo à sua proteção todos os pais, os sacerdotes – que também são pais – e aqueles que têm um papel educativo na Igreja e na sociedade”. Nas Filipinas declarou: “Eu gosto muito de São José porque é um homem forte de silêncio. Na minha escrivaninha tenho uma imagem de São José dormindo. Dormindo ele cuida da Igreja. Quando tenho um problema, uma dificuldade, escrevo um papelzinho e o coloco debaixo de São José para que o sonhe. Isto significa para que reze por este problema”. O exemplo do Papa nos motive confiar na intercessão e proteção daquele que deu o que tinha de melhor para proteger Jesus, nosso Salvador e a sua graciosíssima Mãe, Maria Santíssima


envie seu comentário »

Veja Também

Veja + Palavra do bispo