Palavra do bispo Dom Manoel João Francisco

Postado dia 07/12/2018 às 08:26:34

Solenidade da Imaculada Conceição

 
MENSAGEM DO BISPO


         No próximo dia 08, os católicos estarão celebrando a Solenidade da Imaculada Conceição. Esta é uma celebração moderna. Foi instituída pelo Papa Pio IX em 1863, depois de ter definido o Dogma da Imaculada Conceição em 1854.
         A celebração litúrgica é recente, a devoção popular, no entanto, há muito tempo, já reconhecia a pureza da Mãe de Deus, concebida isenta de todo pecado. 
         Nos inícios do século VIII, nos mosteiros da Palestina, no dia 09 de dezembro se fazia memória da concepção milagrosa de Nossa senhora no seio de sua mãe Santa Ana, fato narrado, num texto apócrifo, conhecido como “Protoevangelho de São Tiago”.  Mais tarde, no século IX, na Itália e, logo em seguida, na Inglaterra e na Irlanda, encontra-se, no dia 08 de dezembro, a mesma celebração com mudança não apenas na data, mas também no conteúdo teológico. Santa Ana foi totalmente esquecida. Realça-se então a concepção imaculada de Nossa Senhora. Da Inglaterra e da Irlanda a celebração pas sou a ser feita também no continente europeu, a partir da Normandia. 
Nem todos os teólogos, São Bernardo de Claraval e São Tomás de Aquino, por exemplo, eram de acordo com esta celebração. Outros, no entanto, como Duns Scoto que também foi um grande teólogo, vieram em sua defesa. Duns Scoto tinha a seguinte argumentação: Todos fomos redimidos por Cristo. Existem, porém, duas formas de redenção. Uma que salva do fosso quem já caiu. É o nosso caso. Todos nós fomos objetos desta redenção, porque todos nós caímos no abismo do pecado, todos nós nascemos marcados pelo pecado das origens, dos primeiros pais, Adão e Eva. A segunda forma de redenção chama-se redenção de preservação. Con siste em não deixar cair. É o caso de Nossa Senhora que também devia ter caído no abismo do pecado. Ela é também da nossa raça pecadora, mas Cristo a redimiu, preservando-a da queda. Aquela que devia cair como os demais, foi preservada por um amor especial.
Embasado nos argumentos de Duns Scoto que era franciscano, o Capítulo Geral, em 1263, introduziu a festa da Imaculada Conceição em toda a ordem franciscana, contribuindo desta maneira para a sua difusão em todo o mundo. 
Em 1708, o Papa Clemente XI prescreveu que a festa da Imaculada Conceição fosse um “Dia Santo de Guarda”.
         Segundo a tradição, Nossa Senhora apareceu a várias pessoas confirmando a sua “Imaculada Conceição”. Após a proclamação do dogma pelo Papa Pio IX, Maria Santíssima apareceu em Lourdes a Bernadete Soubirous, uma menina camponesa, pobre e analfabeta, declarando-se: “Eu sou a Imaculada Conceição”.
         Em Portugal, o culto à Imaculada Conceição foi oficializado em 1640, por Dom João IV, primeiro rei da dinastia de Bragança.
         No Brasil, a imagem de Nossa Senhora da Conceição chegou em uma das naus de Pedro Álvares Cabral. Os frades franciscanos foram os propagadores desta devoção que se espalhou de norte a sul. Hoje, no Brasil, existem quase 400 paróquias dedicadas à Imaculada. Em nossa Diocese são 03: Jataízinho, Panema e Nova América da Colina. Nossa Diocese, sob um título ligeiramente modificado, - Imaculado Coração de Maria - também a tem como sua padroeira.  
         Dom Pedro I, da mesma dinastia de Dom João IV, proclamou a Imaculada Conceição Padroeira do Império Brasileiro.
         Em 17l7 alguns pescadores acharam no rio Paraíba do Sul uma imagem da Imaculada Conceição. Passaram a cultuá-la sob o título de Nossa Senhora Aparecida que no início do século XX foi proclamada Padroeira do Brasil. 
         Isenta de todo o pecado, Maria aparece como nova Eva que, ao lado do novo Adão, contribuiu de maneira toda especial na salvação da humanidade.
         São Oscar Romero, quando arcebispo de San Salvador em El Salvador, na homília que proferiu na festa da Imaculada, no dia 08 de dezembro de 1978 assim se pronunciou: “Irmãos e irmãs, quem de nós se tivesse tido a oportunidade de escolher a própria mãe, de acordo com seu gosto, não a teria feito a mulher mais formosa, mais pura e mais santa? Ninguém de nós escolheu sua mãe. Nascemos da mulher que o Senhor nos designou. Porém, Deus eterno que pode escolher sua mãe de acordo com seu gosto, pode esbanjar em seu favor toda a sua generosidade, todo o seu amor. Por isso, irmãos e irmãs, podemos dizer que a festa da Imaculada Conceição de M aria é uma celebração do amor de Deus, uma celebração do amor do Filho mais velho que escolheu a mãe mais bendita. Por isso, filhos e mães, alegremo-nos porque nunca houve um caso em que um filho como nós tenha podido escolher sua mãe e fazê-la nascer Imaculada e pura como Cristo que a fez de acordo com seu desejo e gosto”.


envie seu comentário »

Veja Também

Veja + Palavra do bispo