Palavra do bispo Dom Manoel João Francisco

Postado dia 15/10/2018 às 10:19:12

Mês do Rosário

MENSAGEM DO BISPO

 

         O mês de outubro, além de ser o mês das Missões, por orientação do Papa Leão XIII, é também conhecido como mês do Rosário.

         A recitação do Rosário é uma prática muito antiga entre os católicos. Nasceu por volta do século XII, entre os monges que não sabiam ler, para substituir a Liturgia das Horas. Em vez dos salmos, eles recitavam as Ave-Marias. No século XIV, um tal de Henrique Kalkar dividiu as cento e cinqüenta Ave-Marias em 15 dezenas, inserindo entre elas um Pai-Nosso. Nesta mesma época, São Domingos de Gusmão e os dominicanos, com suas pregações, divulgaram entre o povo esta oração que até então era uma prática exclusiva dos monges. A meditação de passagens da vida de Jesus enquanto se rezam as Ave-Marias aparece no século XV.

         Muitos Papas também contribuíram para divulgação e popularidade da recitação do Rosário. O primeiro foi São Pio V que antes de assumir o Pontificado tinha sido discípulo de São Domingos de Gusmão. Conta a história que os turcos, seguidores da religião de Maomé, estavam para invadir a Europa e dizimar os cristãos. Travou-se então uma batalha em que o exército cristão era muito reduzido. A vitória dos muçulmanos era dada como certa. Pio V, diante deste perigo, convocou os fiéis de Roma para rezarem o Rosário. O povo atendeu o chamado e os cristãos venceram a poderosa esquadra dos seguidores de Maomé. O acontecimento foi interpretado como milagre, alcançado por mei o da recitação do Rosário. Pio V determinou então que neste dia, 07 de outubro, nossa Senhora fosse comemorada na Liturgia. Seu sucessor o Papa Gregório XIII, inseriu a celebração no calendário litúrgico, instituindo a Festa de Nossa Senhora do Rosário. A partir de então o Rosário se tornou uma forma universal de oração. Devoção Mariana e Rosário passaram a se confundir. Uma encontrava no outro a sua expressão orante mais simples e mais rica.

         Após o Concílio Vaticano II, que devolveu a centralidade do culto para Cristo, a devoção à Nossa Senhora sofreu uma espécie de arrefecimento. Com isso, a prática do Rosário também passou por uma certa crise. No entanto, os Papas não deixaram de exortar os fiéis para tão importante devoção. Paulo VI, na Encíclica Marialis Cultus, lembrou que o Rosário foi chamado “compêndio de todo o Evangelho”. Por isso, em continuidade de entendimento com seus predecessores recomendou vivamente a recitação do Rosário em família (MC 52). São João Paulo II escreveu uma Carta Apostólica sobre o Rosário. Iniciou seu texto com esta afirmação: “O Ros&aa cute;rio da Virgem Maria que ao sopro do Espírito de Deus se foi formando gradualmente no segundo Milênio, é oração amada por numerosos santos e estimulada pelo Magistério. Na sua simplicidade e profundidade, permanece, mesmo no terceiro Milênio recém iniciado, uma oração de grande significado e destinada a produzir frutos de santidade” (RV 1). O Papa Bento XVI se pronunciou diversas vezes sobre a importância da recitação do Rosário. Seu pensamento pode ser assim resumido: “O santo Rosário não é uma prática do passado como oração de outros tempos, que se deve pensar com nostalgia. Pelo contrário, o Rosário esta vivendo uma nova primavera. No mundo atual, tão dispersivo, esta oração ajuda a colocar Cristo no centro, como fazia Nossa Senhora que meditava interiormente tudo o que se dizia do seu F ilho e o que ele fazia e dizia”. O Papa Francisco é também um grande devoto de Nossa Senhora e propagador da recitação do Rosário. São suas estas palavras: “Esta simples oração, na verdade, ajuda-nos a contemplar tudo o que Deus em seu amor fez por nós e pela nossa salvação, e faz-nos perceber que nossa vida está unida à vida de Cristo. Rezando o Rosário, nós levamos tudo a Deus: os cansaços, as feridas, os medos, mas também as alegrias, os dons, os entes queridos, tudo a Deus”. Termina sua mensagem insistindo na oração freqüente do Rosário: “Usem frequentemente este instrumento poderoso que é a oração do Rosário, porque traz paz aos corações, às famílias, à Igreja e ao mundo”.

         Para este ano, o Papa Francisco pediu que, durante todo o mês de outubro, rezássemos diariamente o terço, “contra o mal que divide a comunidade cristã”. Aqui em Cornélio, por iniciativa do Reitor, Pe. Eduardo, os seminaristas e pessoas da vizinhança estão rezando o terço, ao meio dia, na capela do Seminário Menino Deus. Estamos ainda, na metade do mês. Portanto, ainda é tempo de atender a solicitação do Papa. Se não for possível em grupo, podemos rezar o terço individualmente. O importante é rezar e pedir que a Virgem Maria proteja a Igreja e também o nosso país nestes tempos de crise.


envie seu comentário »

Veja Também

Veja + Palavra do bispo